contagem

Esta foi uma das decisões que saiu, ontem, da reunião entre o ministério da Educação e a plataforma que junta dez organizações sindicais de professores, foi ainda decidido criar uma comissão técnica, com representantes dos sindicatos e do Governo, para apurar “com rigor” quanto custa afinal contar os 9 anos, quatro meses e dois dias de tempo congelado e fazer os respectivos ajustes na carreira e nos vencimentos.

Entretanto, as greves convocadas pela plataforma sindical às reuniões de avaliação, que deviam terminar amanhã, vão mesmo acabar, por isso, os mais de cinquenta mil conselhos de turma que não se realizaram até agora devem acontecer na próxima semana e os alunos poderão então conhecer as notas.

Os sindicatos apelam ainda aos partidos que “nenhum grupo parlamentar dê o seu aval a uma proposta de Orçamento do Estado para 2019 que não tenha prevista já alguma recuperação do tempo de serviço congelado”.






Comente esta notícia