Professores em luta

Horários de trabalho, aposentação dos docentes, descongelamento das carreiras, combate à municipalização, defesa da gestão democrática para as escolas e defesa de medidas promotoras de uma efectiva inclusão escolar, são as principais questões que continuam em cima da mesa e que levam à continuidade da luta.

São matérias fundamentais, cuja resolução não pode continuar a ser adiada como afirma Manuel Nobre, presidente do SPZS-Sidnicato dos Professores da Zona Sul, estrutura afecta à FENPROF.

Ainda segundo, Manuel Nobre, o actual Governo deu alguns passos na resolução de alguns problemas na área da educação, mas continua a não dar resposta a várias questões importantes.


Comente esta notícia