Voltar

Atualidade

Frente Comum marca protesto para terça-feira frente à residência do primeiro-ministro

Atualidade

Frente Comum marca protesto para terça-feira frente à residência do primeiro-ministro

A Frente Comum da Administração Pública anunciou um protesto, para a próxima terça-feira, frente à residência oficial do primeiro-ministro, com o objetivo de responsabilizar António Costa "pelas respostas que não vai dar" com o Orçamento do Estado (OE) para 2024.

O anúncio foi feito pelo coordenador da Frente Comum, Sebastião Santana, em declarações aos jornalistas, à saída de uma reunião com a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, e com a secretária de Estado da Administração Pública, Inês Ramires, na Presidência do Conselho de Ministros, em Lisboa.

"Não estamos satisfeitos com o resultado desta reunião, o Governo mantém-se intransigente em relação à possibilidade de aumentar salários, mantém a proposta que tinha", disse o líder sindical.

Sobre o sistema de avaliação de desempenho, tema da reunião com o Governo, a Frente Comum considera que "a evolução que houve não foi significativa" uma vez que se mantêm as quotas para as avaliações mais elevadas e a necessidade de oito pontos para a mudança de posição remuneratória obrigatória, quando a Frente Comum propunha quatro pontos.

"Voltámos a mostrar ao Governo abertura para continuar as negociações que se entendam até ao Governo deixar de estar em funções", sublinhou Sebastião Santana.

O líder da Frente Comum referiu que o Orçamento do Estado "ainda não está votado em votação final global" e por isso "há tempo, espaço e meios para alterar" a proposta.

"É também neste sentido que a Frente Comum agendou uma concentração nacional de dirigentes, delegados e ativistas sindicais, dia 21, em frente à residência oficial do primeiro-ministro - e não nos enganámos na morada, é mesmo para responsabilizar o chefe do Governo com as respostas que não vai dar com a aprovação deste OE", disse.

A proposta de Orçamento do Estado para 2024 (OE2024), já aprovada na generalidade, será votada em votação final global no dia 29 de novembro, estando prevista posteriormente a dissolução da Assembleia da República, na sequência de demissão apresentada pelo primeiro-ministro, António costa.




PUB
PUB
PUB

Música

Diogo Zambujo Lança single de estreia "O Mundo Sou Eu"

Acabou de tocar...

Grande feira do Sul 2024 registada pela Voz da Planície, em fotografias

BEJA meteorologia
Top
Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização.