Aljustrel CDU

Em nota de imprensa, os vereadores da CDU afirmam terem sido recentemente confrontados com a inevitabilidade do Município de Aljustrel ter de pagar uma divida contraída em pouco mais de um ano, parte de 2013 e 2014, de mais de 700 mil euros, acrescidos de cerca de 82 mil euros de juros, num encargo total de 814.358,71 euros, à empresa Águas Públicas do Alentejo, sob pena de verem as suas receitas serem retidas nas transferências do Orçamento de Estado.

O vereador da CDU Manuel Nobre mostra-se preocupado com esta questão, recorda que esta é a segunda vez que tal acontece e espera que esta má gestão da autarquia não se reflita no preço a cobrar pela água. Manuel Nobre frisou ainda, que isto mostra que o Município tem feito a cobrança da água, mas que não tem efetuado as transferências para as Águas Públicas do Alentejo.

Com esta situação, Manuel Nobre espera, igualmente, que não se empurre o Município para um endividamento insustentável e que o mesmo não avance para a privatização deste bem.

No final, Manuel Nobre referiu queeste valor se encontra muito acima do revelado, dizendo que ainda há poucos meses foi revelado pelo executivo da Câmara de Aljustrel, que no dia 1 Novembro de 2014, o valor em dívida era de pouco mais de 500 mil euros.

Nelson Brito, presidente da Câmara de Aljustrel, responde às acusações dos vereadores da CDU.

Para além do alheamento da realidade atual dos municípios no que se refere aos acordos com as Águas do Alentejo, Nelson Brito acusa ainda, os eleitos da CDU de desconhecerem a dimensão da crise que o país enfrenta, que os mesmos não se apercebem que por isso mesmo, há famílias em Aljustrel que não conseguem pagar as suas faturas e de insensibilidade social. O presidente da Câmara diz, igualmente, que esta posição pode levar o Município a ter que esquecer o lado social que deveria preservar e a aumentar a tarifa que cobra aos munícipes.

No final, Nelson Brito pediu aos vereadores da CDU que olhassem para os dois lados da moeda e que relevassem o facto, do Município ter reduzido a sua dívida geral em 20 por cento, deixando para traz uma herança de mais de 11 milhões de euros em dívidas, que agora se situam em pouco mais de 9 milhões.


Comente esta notícia