Foram votados, na última sessão parlamentar, os projetos de resolução do PCP intitulados "Por uma solução rápida e definitiva para o problema do IP8 e IP2 e por garantias de intervenção na rede rodoviária do distrito de Beja" e "Recomenda ao Governo a implementação das recomendações e conclusões relativas ao aeroporto de Beja saídas do Grupo de Trabalho criado pelo Governo para o efeito". O projeto relativo ao aeroporto de Beja foi rejeitado com os votos contra do PSD e do CDS e o projeto sobre rede viária foi rejeitado com os votos contra de PSD e CDS e a abstenção do PS.

As declarações são de João Ramos, deputado do PCP, eleito pelo distrito, que lamentou o sucedido, dizendo que isto prova que o Governo não está do lado de quem apresenta soluções.

Na discussão destes projetos, que se realizou sem que os restantes deputados eleitos pelo círculo eleitoral de Beja se dignassem ir discuti-los, os argumentos de PSD/CDS foram de que já havia retoma de obras no IP2 e que agora a responsabilidade de dinamização do aeroporto é da entidade privada que é concessionária da ANA - Aeroportos de Portugal. O PS apenas reivindica a paternidade das infraestruturas quando na verdade é corresponsável pela situação em que se encontram aqueles projetos estruturantes, frisou também João Ramos.

Na última sessão parlamentar desta legislatura foram rejeitadas, igualmente, as propostas do PCP inseridas no Plano Imediato de Intervenção Económica e Social para o Alentejo. O Projeto de Resolução com 54 medidas que, entre outras, defendia "o levantamento das situações de pobreza extrema e a intervenção do Estado para a sua superação e garantia da inclusão social das famílias", uma recusa que significa para o PCP a falta de interesse do PSD e do CDS-PP em contribuir positivamente para ultrapassar problemas da região Alentejo. 


Comente esta notícia

Galeria de fotos