Terras sem Sombra Cuba

O Terras sem Música dedica a edição deste ano à temática das relações entre as viagens e a música, somando-se ao programa oficial das comemorações do V centenário da viagem de circum-navegação de Fernão de Magalhães e Juan Sebastián Elcano. Magalhães ficou associado às Filipinas por ter desembarcado em 1521 na ilha de Mactan, onde perdeu a vida.

Relembrando esse facto, o festival dedica o seu próximo concerto à música filipina, que acontece esta noite, no Centro Cultural de Cuba, às 21.30 horas, com a presença da soprano Manila Adap, acompanhada pelo pianista espanhol Alberto Urroz, tal como explica José António Falcão, diretor-geral do Terras sem Sombra.

A anteceder o concerto, o programa sugere para a tarde de hoje, a atividade dedicada ao Património Cultural intitulada “No País de Fialho de Almeida: Lugares e Memórias do autor d'os Gatos”. José António Falcão revela o que está preparado para esta ação, que visa percorrer lugares-chave da vida e obra de Fialho de Almeida.  

Quanto à ação de biodiversidade, agendada para amanhã, a partir das 9.30 horas, o Terras sem Sombra preparou a atividade “Tesouros da Terra: Geologia e Castas Tradicionais em Cuba”, uma vez que, o concelho, em termos geológicos, configura um terroir muito apto à vitivinicultura. Esta é uma iniciativa, apoiada pelo município cubense e que conta com a colaboração da Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito e o Laboratório Nacional de Energia e Geologia.  


Comente esta notícia